Ideais visíveis aos olhos: saiba mais sobre a arquitetura moderna!

Você sabia que a arquitetura moderna tem precedentes nos ideais da revolução industrial? Arte e ciência são dois lados da mesma moeda, e você terá a possibilidade de se aprofundar nessa temática e entender seu valor.

O que mais se escuta falar é sobre transformações tecnológicas, e acredite, as edificações não contam histórias apenas pelas suas formas artísticas e composições surpreendentes adaptadas à passagem do tempo, mas também evidenciam realidades sociais não tão agradáveis.

Ficou curioso? No decorrer do texto você será capaz de compreender desde as influências ao estilo arquitetônico moderno até suas características primordiais, e muito mais. Vem conosco!

Existe diferença entre o moderno e o contemporâneo?

Em dias atuais, estas duas palavras são utilizadas quase como sinônimos, mas em todos os casos e segmentos sociais ambas divergem entre si. Quando falamos de arte e arquitetura, a diferenciação é intrínseca em cada uma das palavras.

Deste modo, sim, existe uma enorme diferença entre o que aduz a palavra “moderno” e o entendimento de contemporâneo.

A associação de “moderno” com o que é novo, diferente, tecnológico e até contemporâneo inicia o desacerto na interpretação. Na realidade, moderno e contemporâneo tratam-se de termos de dois períodos históricos e artísticos distintos.

O moderno advém do movimento modernista que teve início na Europa na primeira metade do século XX, e se propagou pelo mundo desde então. Essa tendência única na arte e arquitetura da Idade Moderna foi marcada pela revolução francesa – que também começava no mesmo período –, bem como pela reforma religiosa, o renascimento, absolutismo e o tão famoso iluminismo.

Além do mais, a substituição do sistema feudal pelo capitalista também influenciou não só as áreas científicas e comerciais, como também as filosóficas, literárias e arquitetônicas.

Por sua vez, quando se fala da Idade Contemporânea ou Contemporaneidade, a exposição fática se baseará no período atual da história do mundo. A delimitação de início desse período ainda é bem nebulosa entre os historiadores, sendo bem mais de um viés político do que, de fato, acerca de um estilo de decoração ou de arquitetura.

Capiche?

O que é arquitetura moderna?

Considerações realizadas, a arquitetura moderna é um movimento que propôs projetos arquitetônicos muito mais à frente dos tradicionais naquele tempo existentes. O simples não precisa ser simplório, e logo, não há por que passar.

Uma bandeira era levantada pela Idade Moderna conjuntamente com a Revolução Industrial: rejeição do tradicional, do arcaico, do ultrapassado. Mais do que edificações, as funções sociais das construções começaram a ser observadas pelos arquitetos modernos.

A forma de utilização, na prática, dos espaços é mais importante do que a pompa da construção. Vamos nos aprofundar nas particularidades arquitetônicas modernas:

As principais características da arquitetura moderna

Casa de arquitetura moderna com linhas retas predominantes e estrutura em cor branca
Casa Vila Savoye projetada por Le Corbusier – Foto por Jelm6 no Flickr

A arquitetura moderna, ao rejeitar os padrões da época, também se pautava em uma sociedade mais exigente e tocada pela revolução rumo ao futuro. Desse modo, o tradicional não era a meta, mas sim a inovação. Termo este, inclusive, que é uma forte característica do modernismo.

Se a industrialização se deu, por que não fugir os elementos de ornamentação desnecessários e valorizar, na contramão, o uso racional de materiais, tecnologias e espaços para dar vasão a obras modernas dotadas de funcionalidade?

Seguindo esta linha, a arquitetura moderna pode ser caracterizada por:

  • formas simples de construção (mas não desinteressantes);
  • aparências retangulares;
  • uso de figuras geométricas;
  • uso de elementos lineares (linhas verticais e horizontais);
  • integração de espaços
  • funcionalidade prática da construção;
  • visão futurista, mas sem exageros;
  • planta livre;
  • concreto armado e aparente.

Quais são os objetivos da arquitetura moderna?

Levando em consideração as características exploradas, pode-se dizer que lado a lado com estas peculiaridades da arquitetura moderna caminha a valorização de espaços, prestígio de ventilação, iluminações e zonas de respiro.

Esse propósito é bem evidente nas escolhas que influenciaram a arquitetura moderna, e você com certeza conhece e admira projetos que possuem estas características. Abaixo vamos tratar disso também.

Escolas e movimentos que influenciaram a arquitetura moderna

Já ficou claro que movimentos populares, científicos e revolucionários influenciaram o desenvolvimento da arquitetura moderna, mas e as escolas e movimentos artísticos, quais foram?

1. Escola Bauhaus

Fachada do prédio onde fica a Escola Bauhaus
Sede da Bauhaus – Foto por Hisashi Oshite no Unsplash

Esse movimento alemão é considerado como a Primeira Escola de Design do mundo, tendo sido criado pelo arquiteto Walter Gropius, em Weimar, na Alemanha de 1919.

As linhas retas, paredes lisas, espaços abertos, janelas amplas e o visual clean foram as premissas que influenciaram a pintura, o desenho industrial e a arquitetura. Todas as formas de arte tinham representações de maneira a se interligarem.

A escola teve suas atividades encerradas em 1933 por conta do nazismo, e por conta também dessas ameaças, muitos arquitetos e artistas saíram do país e propagaram os ensinamentos da escola pelo mundo afora.

2. Le Corbusier

O franco suíço Charles-Edouard Jeanneret-Gris (1887 – 1965) é conhecido por ter como influência de seus estudos os conceitos matemáticos como a Proporção Áurea e Sequência de Fibonacci para desenvolver o que hoje é conhecido como concreto armado.

Janelas amplas pilotis trazem o aspecto clean do modernismo, assim como este arquiteto também defendia o ideal de que o ambiente deve ser passível de utilização. Já ouviu falar de cidades-jardim? A ideia comunitária veio daqui!

Ah, sabe o que mais representa muito a arquitetura moderna de Le Corbusier na contemporaneidade brasileira? As casas/apartamentos que estão na moda hoje em dia: planta livre com pé direito alto, janelas em fita ou janelas grandes e que, por vezes, ocupam grande parte da fachada da casa, terraços-jardim e amplitude.

E a arquitetura moderna no Brasil, como se deu?

Se, internacionalmente, a arquitetura moderna teve seu início marcado pelos ideais da Idade Moderna e as consequências da Revolução Industrial, no Brasil sua implantação também possui um marco histórico bem conhecido: a Semana de Arte Moderna de 1922.

A Semana de 22 defendia a expressão do nacional de forma absolutamente autônoma e independente dos ideais iniciais dos europeus, e isso fez com que o movimento arquitetônico moderno brasileiro fosse adaptado à cultura e materiais disponíveis no país.

Expoentes da arquitetura moderna no país

Falar da arquitetura moderna no país sem trazer à tona os nomes daqueles que imortalizaram o movimento seria mais do que injusto, mas um desfavor social. Conheça alguns:

Lucio Costa

Tido como pioneiro da arquitetura moderna brasileira, Lucio Costa (1902 – 1988) foi diretor na Escola Nacional de Belas Artes, e foi ele quem, inclusive, ensinou mais do movimento modernista a arquitetos como Oscar Niemeyer, que foi seu aluno.

A sede do Ministério da Educação e Saúde Pública do Rio de Janeiro e o famosíssimo Estádio do Pacaembu são empreitadas famosas e mundialmente conhecidas deste arquiteto.

Oscar Niemeyer

Também considerado pioneiro do movimento modernista, Niemeyer (1907 – 2012) foi aprendiz de Le Corbusier e aluno de Lucio Costa, e deixou mais de 600 obras modernas espalhadas pelo país. Construções como o Copan, a construção de Brasília e o Sambódromo do Anhembi são feitos deste mestre do modernismo. Você sabia?

Lina Bo Bardi

Fachada da casa de vidro com arquitetura moderna
Casa de Vidro projetada pela Arquiteta Lina Bo Bardo – Foto por Lucas-Medeiros CC-BY-SA-4.0 via Wikimedia-Commons

Lina Bo Bardi (1914 – 1992) é ítalo-brasileira e graduada em arquitetura em Roma. Seguindo as particularidades do estilo modernista, a motivação social da arquiteta sempre esteve à frente de seus projetos.

Os grandes marcos no modernismo brasileiro deixados por Lina foram a Casa de Vidro – construção rodeada pela mata atlântica e formada por uma fachada inteiramente em vidro –, o Sesc Pompéia e o MASP. Como dissemos, simples, mas nunca simplório.

Paulo Mendes Rocha

Se o que se espera da arte, além da emoção passada a cada pessoa, é o reconhecimento de seu valor, temos então o arquiteto Paulo Mendes Rocha, que conjuntamente com os demais, é conhecido em todo o mundo.

Investindo em espaços democráticos, o arquiteto modernista projetou verdadeiras intervenções sociais de altíssimo impacto visual: o Sesc 24 de Maio, o MuBE e a Pinacoteca.

E aí, percebeu como projetos estruturais de lajes para grandes vãos têm influência direta do modernismo? A On.We quer que você tenha acesso ao que melhor existe na internet sobre arquitetura e construções. Siga conosco nessa empreitada inspiradora!

Capa do Post: Edifício Copan – Foto por Matheus Frade no Unsplash

Para fazer um orçamento você precisar criar uma conta!

[user_registration_my_account]